Há 30 anos, Dama Xoc abria suas portas

Cristal da Rocha - O Estado de S.Paulo

04/08/2018 | 16h15   

Casa noturna foi inaugurada com show do Barão Vermelho em 1988

A noite paulistana sempre teve uma movimentação efervecente e de tempos em tempos surgem novas casas noturnas que marcam época.  No fim dos anos 1980 quem surgia era a Dama Xoc inaugurada na cola do sucesso de outra casa de shows no mesmo bairro, a Aeroanta.

A rota noturna paulistana dos anos 1980 com certeza tinha em seu itinerário os shows na boate Dama Xoc, localizada em Pinheiros na Rua Butantã, zona oeste de São Paulo. A proposta da casa era um ambiente aonde mais do que a programação da noite, as pessoas fossem para se reunir e dançar a um som que em nada lembrasse o estilo eletrônico techno, que fazia sucesso à época.

Notícia

Notícia Foto: Estadão

Em sua estréia, Dama Xoc recebeu dois mil convidados para ouvir 'soft rocks' e curtir um show ao embalo do Barão Vermelho - lançando o disco 'Carnaval' - , além de socializar com personalidades da noite paulistana entre artistas e roqueiros drinks e petiscos à vontade.

Os sócios da casa.

Os sócios da casa. Foto: Amancio Chiodi / Estadão

A matéria do Estadão definia bem o espaço e as pretenções do sócio para o novo estabelecimento: "A casa, para 2.500 pessoas, com 1.500 m² – 180 só de palco – e 80 mesas distribuídas entre arquibancadas, uma ante-sala e ainda uma área aberta, recupera o espaço do antigo Cine Goiás, fundado em 1948 e desde 70 transformado num prosaico estacionamento. Os responsáveis por essa audaciosa sacada, sete sócios-proprietários ligados ao showbiz, como Roberto Fillipi, dono de uma empresa de som, e Eduardo Amarante, guitarrista do grupo Zero, pretendem ampliar o cardápio notívago de São Paulo e oferecer como principal atração, mais que os astros convidados, o próprio público. “Não seremos uma nova versão do Palace, por exemplo, essencialmente um lugar aonde se vai pela atração em cartaz. Mas um lugar com ótimos shows que as pessoas frequentem, independentemente do espetáculo que estiver rolando” afirma Alfio D'Avila, programador artístico da Dama Xoc."

Show do Barão Vermelho.

Show do Barão Vermelho. Foto: Leonardo Moraes / Estadão

Resenha sobre o lançamento do disco 'Carnaval' pelo Barão Vermelho, que ocorreu na inauguração do Dama Xoc. O jornalista Luís Antônio Giron elogiou  o disco.  "É uma obra prima de rebeldia e de rock brasileiro sem fronteiras de nação ou filiações de moda. Salvo erro, Carnaval vai representar para 1988 aquilo que Jesus Não Tem Dentes no País dos Banguelas, dos Titãs, representou para o ano de 1987: o disco de referência para se entender o rock praticado no País, com seus defeitos e tiradas brilhantes."

Lançamento do disco 'Carnaval' no Dama Xoc.

Lançamento do disco 'Carnaval' no Dama Xoc. Foto: Estadão

O Dama Xoc durou até 2003 e durante seus 15 anos de existência recebeu shows das bandas que estavam no auge durante aqueles anos. Além do Barão Vermelho, que apareceu na estréia mas retornou para gravar seu primeiro disco ao vivo alguns anos depois, passaram por lá Legião Urbana, Titãs, Capital Inicial, Plebe Rude, Ratos de Porão, Sepultura, a última turnê de Raul Seixas em parceria com Marcelo Nova e atrações internacionais, como os Ramones, em 1991.

O jornal cobriu a abertura da casa e no link você acessa a matéria de 1988.

Novidade na noite paulistana.

Novidade na noite paulistana. Foto: Estadão

Veja também:

> Cazuza, exagerado em 1985

Série 'Contatos Fotográficos' mostra imagens inéditas

Belchior sempre esteve aqui

# Assine |  # Licenciamento de conteúdos Estadão

# Siga: twitter@estadaoacervo | facebook/arquivoestadao | instagram