Um cão, uma índia apache, um nazista; 10 curiosidades sobre o Oscar

Liz Batista - Estadão Acervo

06/02/2020 | 19h42   

Conheça algumas histórias que marcaram a maior premiação do cinema

O Estado de S.Paulo - 05/04/1960

O Estado de S.Paulo - 05/04/1960 Foto: Acervo/Estadão

Um Oscar quase brasileiro. Em 1960, o filme ítalo-franco-brasileiro Orfeu do Carnaval (1959),  levou o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, mas a produção concorreu pela França.  

Notícia sobre a 1ª cerimônia do Oscar, publicada na capa do L.A. Times de 17 de maio de 1929. Clique aqui para ver a página. Foto: Reprodução

Notícia sobre a 1ª cerimônia do Oscar, publicada na capa do L.A. Times de 17 de maio de 1929. Clique aqui para ver a página. Foto: Reprodução Foto: Acervo/Estadão

Sem surpresa. A primeira festa do prêmio mais cobiçado de Hollywood foi realizada durante um jantar de gala, em 16 de maio de 1929. Diferente dos eventos que estamos acostumados a acompanhar, a premiação transcorreu sem qualquer suspense sobre o anúncio dos vencedores. A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas já havia comunicado três meses antes quem eram os premiados.   

 

O Estado de S.Paulo - 29/01/1955 e 26/02/1955

O Estado de S.Paulo - 29/01/1955 e 26/02/1955 Foto: Acervo/Estadão

A fazendeira de Goiás. A primeira a vencer o Oscar de Melhor Atriz foi Janet Gaynor, que recebeu sua estatueta com apenas 22 anos de idade. Desiludida com a indústria, Gaynor abandonou o cinema e embarcou para uma uma longa temporada no Brasil, na década de 1950. Em sua fazenda em Anápolis, Goiás, viveu anos tranquilos ao lado do marido, o famoso figurinista Gilbert Adrian.

No, thanks. O primeiro ator a recusar o Oscar de Melhor Ator foi George Scott, que em 1971 não apareceu para buscar sua estatueta. Premiado por sua atuação em Patton, Rebelde ou Herói? (1970) , Scott disse que achava humilhante a politicagem em torno da cerimônia. Depois dele, apenas Marlon Brando renunciou ao prêmio, em 1973. 

 

O Estado de S.Paulo - 29/3/1973

O Estado de S.Paulo - 29/3/1973 Foto: Acervo/Estadão

O chefão e a apache. Em 1973, Marlon Brando venceu na categoria de Melhor Ator por seu trabalho em O Poderoso Chefão (1972). O ator boicotou a cerimônia e declinou o Oscar. Mandou em seu lugar a índia apache Sacheen Littlefeather. Ativista pelo direitos dos povos nativo americanos que usou o tempo reservado ao que deveria ser o discurso de agradecimento de Brando para falar de sua causa. O evento é lembrado como um dos mais polêmicos e políticos da premiação

 

.

O cão talentoso. Um concorrente nada convencional encabeçou a disputa pelo primeiro Oscar de Melhor Ator. Susan Orlean, autora da biografia sobre o astro canino Rin Tin Tin, conta que o cão estrela da Warner Bros liderou a votação naquele ano. Como o primeiro Oscar não contava com indicados, o pastor alemão acabou tendo o maior número de votos. A Academia entendeu o resultado como uma brincadeira, definiu que o prêmio só poderia ser dado para um ator e a votação foi refeita.

O Estado de S.Paulo - 30/03/1978

O Estado de S.Paulo - 30/03/1978 Foto: Acervo/Estadão

 

O nazista. O primeiro ganhador do Oscar de Melhor Ator foi o alemão Emil Jannings. Ele deixou Hollywood  na década de 1930 e mudou-se para a Alemanha nazista onde se revelou um dos maiores apoiadores do regime de Adolf Hitler. Estrelou inúmeras produções para o Terceiro Reich e recebeu do Ministro da Propaganda, Joseph Goebbels, o título de Staatsschauspieler (Ator do Estado, em livre tradução). A infame história é contada até hoje como piada, dizem que a indústria podia ter premiado um pastor alemão, mas acabou premiando um poodle nazista. Jannings foi retratado no filme Bastardos Inglórios (2009) de Quentin Tarantino.

 

Cena do filme Bastardos Inglórios (2009) onde Jannings é retratado. Clique aqui para assistir o trecho Foto: Reprodução

Cena do filme Bastardos Inglórios (2009) onde Jannings é retratado. Clique aqui para assistir o trecho Foto: Reprodução Foto: Reprodução

Empates. Embora raros, empates acontecem na premiação. Em 1969, o Oscar de Melhor Atriz foi dado para Katharine Hepburn e para Barbra Streisand. Ingrid Bergman, que apresentava o prêmio, não escondeu o choque ao abrir o envelope. O mesmo ocorreu em 1932, quando Wallace Beerye Fredric March venceram a categoria de Melhor Ator. 

 

O Estado de S.Paulo - 28/02/2017

O Estado de S.Paulo - 28/02/2017 Foto: Acervo/Estadão

E o Oscar vai para... oooops.  Em 2017, os veteranos Faye Dunaway e Warren Beatty protagonizaram, inadvertidamente, o maior o erro da história da cerimônia do Oscar. Uma troca de envelopes colocou nas mãos dos apresentadores o resultado errado da categoria Melhor Filme. O musical La La Land foi anunciado como vencedor, quando o premio deveria ser dado ao drama Moonlight (2016). A entrega da estatueta foi interrompida enquanto a equipe de La La Land (2016) começava a fazer seu discurso de agradecimento e direcionada aos devidos vencedores da noite.  

.

Os últimos serão os primeiros. Não são apenas os melhores que recebem estatuetas na temporada de premiações. Desde 1981, os piores também levam para casa seu prêmio, uma escultura de uma framboesa dourada. A premiação acontece dias antes do Oscar e funciona na contracorrente das grandes festas do cinema, como uma sátira, dedicando-se a premiar os piores do ano no cinema. Os piores filmes, as piores atuações, os piores roteiros etc. E, sim, já houve quem vencesse as duas premiações, levando tanto o Oscar como a Framboesa de Ouro no mesmo ano. 

Leia também:

#A história do filme '1917' nas páginas do jornal

#Oscar completa 90 anos

#Lembranças de outros Oscars

#OSCAR 2018 - Eventos históricos inspiram três indicados ao Oscar

#Conheça as histórias de vida que concorrem ao Oscar 2015

#Oscar 2013: uma premiação cheia de veteranos

#História: a grande vencedora do Oscar de 2012

#OSCAR 2011 - O Discurso do Rei, com a palavra George VI  

Acervo Estadão

Todas as edições | Censuradas | Tópicos | Personalidades | Lugares | Páginas da História