Brasil e Iraque assinaram acordo nuclear em 1980

Liz Batista - O Estado de S.Paulo

07/01/2020 | 12h55   

Acerto estremeceu relação com Israel, mas foi abalado pela guerra Irã-Iraque

O Estado de S.Paulo - 08/01/1980clique aqui para ver a página

O Estado de S.Paulo - 08/01/1980clique aqui para ver a página Foto: Acervo/Estadão

A notícia de um acordo nuclear entre o Brasil e Iraque, em 07 de janeiro de 1980, estremeceu as relações do País com Israel e elevou os temores de um conflito atômico no Oriente Médio. Entre as promessas feitas por Bagdá em troca da importação de urânio e cooperação científica brasileira, estava a garantia de abastecimento de petróleo, a compra de armamentos e contratos para prestações de serviços, construções de estradas e hotéis com empresas brasileiras. 

O Estado de S.Paulo - 12/07/1980clique aqui para ver a página

O Estado de S.Paulo - 12/07/1980clique aqui para ver a página Foto: Acervo/Estadão

A possibilidade de garantir o abastecimento do País era promissora para o governo do general João Baptista Figueiredo -  o último presidente da ditadura militar.  O Brasil ainda vivia os impactos da crise do petróleo na década de 1970. Os choques de 1973 e 1979 haviam ajudado a compor o precário cenário da econômica brasileira na década de 1980, com encolhimento do PIB, moratória e inflação galopante.

Bomba vazia em 1979. Cena comum nos tempos de racionamento durante o segundo choque da crise do petróleo

Bomba vazia em 1979. Cena comum nos tempos de racionamento durante o segundo choque da crise do petróleo Foto: Antônio Lúcio/Estadão

Diante da reação internacional, o Itamaraty apressou-se em em informar que a colaboração prevista não abrangeria “o fornecimento de material ou tecnologia sensível, como transferência de instalações ou de know-how para enriquecimento ou reprocessamento de urânio, nem o fornecimento de urânio de alto teor de enriquecimento.”  

O Estado de S.Paulo - 17/07/1980clique aqui para ver a página

O Estado de S.Paulo - 17/07/1980clique aqui para ver a página Foto: Acervo/Estadão

As ressalvas não foram suficientes para contemporizar a relação com Israel, que considerou o Brasil “fornecedor de urânio e de tecnologia nuclear ao Iraque”, como mostra matéria do Estadão de 17 de julho de 1980. A situação se tornou ainda mais sensível após um oficial dos serviços de inteligência de Israel declarar à Comissão de Defesa e Relações Exteriores do Parlamento que talvez já no próximo ano o Iraque poderia dispor de sete ou oito bombas atômicas. 

O Estado de S.Paulo - 25/09/1980clique aqui para ver a página

O Estado de S.Paulo - 25/09/1980clique aqui para ver a página Foto: Acervo/Estadão

Em setembro do mesmo ano, com o início da guerra Irã-Iraque, veio a suspensão do fornecimento diário de 400 mil barris de petróleo ao Brasil. 

Veja também:

# O sonho atômico brasileiro

# Alta do petróleo fez País viver crise nos anos 1970

#Guerra do Golfo, conflito em tempo real

# Assine |  # Licenciamento de conteúdos Estadão

# Siga: twitter@estadaoacervo | facebook/arquivoestadao | instagram