Dia da Terra: conheça a história da data criada para despertar a consciência ambiental

Liz Batista - Acervo Estadão

22/04/2021 | 09h10   

Primeira celebração em 22 de abril de 1970 levou 20 milhões de americanos às ruas pela proteção do meio ambiente

> Estadão - 22/4/1970Reprodução de cartaz promovendo o 1º Dia da Terra em 22/4/1970.

> Estadão - 22/4/1970Reprodução de cartaz promovendo o 1º Dia da Terra em 22/4/1970. Foto: Acervo/ Estadão e Reprodução

Criado na década de 1970 para promover a educação e a consciência ambiental, o Dia da Terra foi impulsionado pelo ativismo universitário do período. Assim como havia militado pelos direitos civis, pelo pacifismo e fim da guerra do Vietnã, o movimento estudantil americano abraçou a causa ambientalista, também encampada pela cultura hippie, com uma força de mobilização e engajamento incríveis que fizeram do primeiro Dia da Terra, em 22 de abril de 1970, um caso de sucesso. 

Com o foco principal no combate à poluição, o protesto daquele dia conseguiu levar 20 milhões de americanos às ruas contra a degradação do meio ambiente em diversas cidades do país. Cerca de 10% da população americana tomou parte nas ações promovidas no dia, numa das maiores demonstrações públicas da sua história. O evento é considerado por historiadores como um dos marcos fundadores do movimento ambientalista moderno, onde foi reconhecido seu potencial como um movimento social de massa

Reprodução da capa do The New York Times de 23/4/1970Veja mais aqui

Reprodução da capa do The New York Times de 23/4/1970Veja mais aqui Foto: Reprodução/ NYT

Atualmente, o Dia da Terra mobiliza uma rede global de 1 bilhão de pessoas em mais de 190 países. A data, que tem em seu DNA o espírito de uma convocação à ação, foi escolhida em 2016 para a assinatura do Acordo de Paris, que busca frear o aquecimento global. Este ano, foi o dia escolhido pelo governo americano para dar início à cúpula do clima que reunirá líderes mundiais para debater os desafios impostos pelas mudanças climáticas

Cartaz criado pelo artista Robert Rauschenberg para o 1º Dia da Terra em 1970.

Cartaz criado pelo artista Robert Rauschenberg para o 1º Dia da Terra em 1970. Foto: Reprodução/ National Archives

Desastre ambiental e engajamento. Em janeiro de 1969, o rompimento de uma plataforma petrolífera da Union Oil no canal de Santa Bárbara, na Califórnia, causou um dos maiores desastres ambientais da história dos Estados Unidos. Os reparos para conter o vazamento na plataforma levaram 11 dias. Nesse tempo mais de 15 milhões de litros de petróleo bruto foram derramados no Oceano Pacífico. Aves marinhas morreram aos milhares, baleias e golfinhos sufocados eram encontrados encalhados nas areias das praias tingidas de negro pelo óleo. O desastre foi amplamente coberto pela imprensa e mobilizou a opinião pública. Na esteira da devastação, movimentos cobrando a redução da poluição e  proteção ambiental cresceram e se popularizaram. 

Reprodução de cartaz do 1º Dia da Terra em 1970.

Reprodução de cartaz do 1º Dia da Terra em 1970. Foto: Reprodução

No início da década de 1970, o senador democrata pelo Wisconsin e ativista ambiental Gaylord Nelson se inspirou nas aulas abertas promovidas nas universidades americanas contra a guerra do Vietnã e organizou um evento nacional semelhante para promover a pauta ambiental. Assim, foi criado o primeiro Dia da Terra, que com a ajuda do jovem ativista Denis Hayes atingiu níveis impressionantes. Dezenas de milhões de pessoas saíram às ruas para os eventos programados para a data. A gigantesca demonstração envolveu todo o país e deixou clara a crescente preocupação da opinião pública com as questões ambientais, colocando, definitivamente, a pauta na agenda política americana.  

Na edição de 22 de abril de 1970, o Estadão noticiou o evento e contou um pouco da história de sua concepção. “O dia 22 de abril marcará uma mudança na vida política desta nação”, preconizou a matéria assina pelo enviado especial Raymond Heard. O texto contava como a campanha impulsionada por jovens de duas mil faculdades e universidades, sete mil colégios e inúmeros centros cívicos buscava “forçar o governo e os investidores particulares a destinar bilhões de dólares para resolver os problemas relacionados a limpeza do ambiente” 

>> Estadão - 22/4/1970

 

> Estadão - 22/4/1970Reprodução de cartaz do 1º Dia da Terra em 1970.

> Estadão - 22/4/1970Reprodução de cartaz do 1º Dia da Terra em 1970. Foto: Acervo/Estadão e Reprodução

A reportagem enumerava alguns dos eventos programados para a data em diferentes cidades. Em Nova York, por exemplo, as ruas centrais seriam fechadas ao tráfego de automóveis e ônibus para dar lugar aos manifestantes que usariam bicicletas, triciclos e veículos a vapor. Tratando com surpresa o vasto alcance atingido pela campanha nacional, o jornalista contava que o sucesso da ação estava no engajamento de milhares de jovens que participaram das manifestações pacifistas na sua promoção. 

O texto, terminava explicando que o senador Nelson havia escolhido o 22 de abril para ser o Dia da Terra “para que todos os norte-americanos demonstrassem, nessa data, seus sentimentos contrários aos crimes de que a Terra é vítima diariamente, cometidos pelos homens e suas máquinas em nome do progresso”. 

Vídeo da PBS sobre o primeiro Dia da TerraAssista aqui

Vídeo da PBS sobre o primeiro Dia da TerraAssista aqui Foto: Reprodução

A década  de 1970 foi marcada pelo avanço da pauta ambientalista. Em 1971  o Greenpeace foi criado e no ano seguinte a ONU se voltou para as questões ambientais, criando o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, o PNUMA. Anos depois, em 1988, o PNUMA e a Organização Meteorológica Mundial uniram-se para fundar o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas, o IPCC.

 

Neste 22 de abril de 2021, o  Doodle do Google celebrou o Dia da Terra.

Dia da Terra Leia também:

>> O século das incertezas sobre o clima

>> Rio-92 nas páginas do Estado: o planeta em pauta

>> IPCC aponta mudanças no clima desde 1990

+ ACERVO

> Veja o jornal do dia que você nasceu

> Capas históricas

> Todas as edições desde 1875

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.