Guerra levou Japão a abrir mão de sediar Olimpíada de 1940

Liz Batista - Acervo Estadão

24/03/2020 | 16h39   

Conflitos globais e terrorismo; relembre cancelamentos e eventos que cobriram de luto os Jogos

O Estado de S.Paulo - 15/7/1938Clique aqui para ver mais 

O Estado de S.Paulo - 15/7/1938Clique aqui para ver mais  Foto: Acervo/Estadão

Não é a primeira vez que os japoneses veem seus planos de sediar os Jogos Olímpicos alterados. Além do adiamento da Olimpíada de Tóquio de 2020 para 2021; em 1938, devido à guerra contra a China, o governo japonês abdicou do direito de sediar a Olimpíada de 1940. Em setembro de 1939, com a invasão nazista da Polônia e o início da Segunda Guerra Mundial, a competição acabou cancelada. Foi apenas em 1964 que o Japão realizou o sonho de sediar os Jogos

Nações já viram os Jogos serem suspensos por conflitos que tomaram o globo, como a Primeira Guerra Mundial e Segunda Guerra Mundial. Também assistiram, em choque, atentados terroristas serem cometidos durante a competição esportiva criada para celebrar os laços entre diferentes povos; como foi o caso do massacre de atletas israelenses nos Jogos de Munique, na Alemanha em 1972 e da explosão de um bomba durante os Jogos de Atlanta, nos Estados Unidos em 1996. Relembre, através das páginas do Estadão Acervo, alguns desses eventos. 

O Estado de S.Paulo - 05/8/1914Clique aqui para ver mais 

O Estado de S.Paulo - 05/8/1914Clique aqui para ver mais  Foto: Acervo/Estadão

Primeira Guerra Mundial. Um espetáculo para deixar sua marca na história. Assim, o Império Alemão havia idealizado os Jogos Olímpicos de 1916, que deveriam acontecer no Deutsches Stadion em Berlim, uma estrutura multi-esportiva com capacidade para 30 mil espectadores. O Estádio Alemão foi inaugurado em junho de 1913, um ano antes do início da Primeira Guerra Mundial

Com o agravamento do conflito, os Jogos foram cancelados. Antes das batalhas recrudescerem, as entidades esportivas acreditavam que os combates terminariam perto do Natal de 1914 e o o evento poderia ser retomado. Em 1915, o estádio, que deveria ter sido palco de competições olímpicas, foi transformado em hospital de campanha para atender soldados feridos. A Primeira Guerra Mundial chegou ao  final com a assinatura do armistício de novembro de 1918Mais de 9 milhões de soldados morreram no confronto que envolveu países dos 5 continentes.

O Estado de S.Paulo - 09/6/1913Clique aqui para ver mais  

O Estado de S.Paulo - 09/6/1913Clique aqui para ver mais   Foto: Acervo/Estadão

Leia também:

#Em meio à Guerra, uma pausa para o Natal: soldados festejaram e jogaram futebol

 

Segunda Guerra Mundial. A Olimpíada de 1940 deveria levar pela primeira vez os Jogos Olímpicos ao Oriente. A honra foi alcançada pelas cidades japonesas de Sapporo (Jogos de Inverno) e Tóquio (Jogos de Verão) em 1936, após o Japão derrotar países ocidentais na disputa para sediar o evento. Em 1937, a guerra entre Japão e China eclodiu e os japoneses abdicaram do direito de sediar os Jogos. Os Jogos foram, então, transferidos para Helsinque, na Finlândia, mas não foram realizados. O início da Segunda Guerra Mundial, com a invasão nazista da Polônia em setembro de 1939, levou ao cancelamento total da competição. Por causa do conflito, a Olimpíada de 1944 também não ocorreu. A guerra chegou ao fim em 1945.

O Estado de S.Paulo - 17/7/1938Clique aqui para ver mais

O Estado de S.Paulo - 17/7/1938Clique aqui para ver mais Foto: Acervo/Estadão

O Estado de S.Paulo - 01/9/1939

O Estado de S.Paulo - 01/9/1939 Foto: Acervo/Estadão

Massacre em Munique. O terror cobriu de luto pela primeira vez a história contemporânea do esporte durante os Jogos de Munique, na Alemanha. Na madrugada de 5 de setembro de 1972, oito terroristas do grupo Setembro Negro, uma dissidência da Organização para a Libertação da Palestina (OLP), invadiu a Vila Olímpica e fez reféns membros da delegação de Israel. A ação terminou com a morte brutal de 11 atletas israelenses e três terroristas. 

O Estado de S.Paulo- 06/9/1972Clique aqui para ver mais 

O Estado de S.Paulo- 06/9/1972Clique aqui para ver mais  Foto: Acervo/Estadão

O Estado de S.Paulo - 06/9/1972Clique aqui para ver mais 

O Estado de S.Paulo - 06/9/1972Clique aqui para ver mais  Foto: Acervo/Estadão

Bomba em Atlanta. Em 27 de julho de 1996, durante os Jogos Olímpicos de Atlanta, nos Estados Unidos, uma bomba explodiu no Centennial Olympic Park, a poucos metros da Vila Olímpica. A explosão matou 2 pessoas e feriu 112. O ato terrorista levou novamente aos Jogos um sentimento de insegurança e vulnerabilidade. 

 

O Estado de S.Paulo- 28/7/1996Clique aqui para ver mais 

O Estado de S.Paulo- 28/7/1996Clique aqui para ver mais  Foto: Acervo/Estadão

Na edição de 28 de julho de 1996, o Estadão abriu a cobertura do atentado com o título “ Terror chega a Atlanta”. O correspondente em Washington, Paulo Sotero, narrou como uma bomba caseira havia explodido no Parque Olímpico, local símbolo da Olimpíada americana daquele ano. O Estadão relatou o esforço conjunto dos funcionários dos serviços de emergência da Olimpíada, que  tiveram de usar até carrinhos de golfe para atender os feridos. A cena do local da explosão foi descrita pela chefe do Corpo de Bombeiros de Atlanta: “via-se de tudo, desde joelhos esmagados até corpos cheios de estilhaços.

O Estado de S.Paulo- 29/7/1996Clique aqui para ver mais

O Estado de S.Paulo- 29/7/1996Clique aqui para ver mais Foto: Acervo/Estadão

Veja também:

#Tópico: Olimpíadas

#Em 1932, futebol foi cortado da Olimpíada

#Lágrimas de Misha salvam Olimpíada de Moscou

#Em 1896, Olimpíada refletiu a crescente importância dos esportes nas sociedades modernas

#Cerveja foi a causa do primeiro doping em Olimpíada

#Heróis olímpicos no Acervo Estadão

Acervo Estadão

Todas as edições | Censuradas | Tópicos | Personalidades | Lugares | Páginas da História

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.