O homem que enfrentou o 'Esquadrão da Morte'

Liz Batista - O Estado de S.Paulo

31/07/2018 | 13h04   

Como procurador, Hélio Bicudo expôs relação entre polícia e crime organizado nos anos de 1970

Hélio Bicudo, 1976. Foto: Mário Magaldi/ Estadão

Hélio Bicudo, 1976. Foto: Mário Magaldi/ Estadão Foto: Mário Magaldi/ Estadão

A carreira pública de Hélio Bicudo  começou a ganhar maior notoriedade e passou a estampar as  manchetes dos jornais na década de 1970, quando , como procurador de Justiça do Estado de São Paulo, ele combateu a temida milícia conhecida como “Esquadrão da Morte.” Antes de  processar criminalmente a organização comandada pelo delegado Sérgio Paranhos Fleury, o jurista ocupou interinamente o Ministério da Fazenda durante o governo do presidente João Goulart e foi chefe da Casa Civil do Governo de São Paulo

O Estado de S.Paulo - 19/11/2006

O Estado de S.Paulo - 19/11/2006 Foto: Acervo/Estadão

Em entrevista ao Estadão em 2006, falou sobre importância do processo expôs que as relações entre a polícia e o crime organizado em plena ditadura militar. Os depoimentos revelaram como a polícia protegia traficantes amigos de rivais. As investigações levaram ao indiciamento de 35 pessoas,  seis foram condenadas. 

O Estado de S.Paulo- 28/7/1970

O Estado de S.Paulo- 28/7/1970 Foto: Acervo/Estadão

O Estado de S.Paulo - 03/8/1971

O Estado de S.Paulo - 03/8/1971 Foto: Acervo/Estadão

Renomado ativista dos direitos humanos e fundador do PT na década de 1980, Hélio Bicudo foi um dos autores do pedido de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff ,encaminhado à Câmara dos Deputados em 2015. 

# Assine |  # Licenciamento de conteúdos Estadão

# Siga: twitter@estadaoacervo | facebook/arquivoestadao | instagram